segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Programa

Nada melhor do que ir ao parque num domingo à tarde, não é?
Fugir daqueles programas de TV muitíssimos interessantes, esquecer que a internet está bombando com seus amigos virtuais, fingir que nada mais te preocupa a não ser se vai ou não chover amanhã.
Em um desses domingos estava tão quente que eu e a “galera do mal” resolvemos fazer um passeio no Parque Ibirapuera.
Eu estava precisando tanto sentir o sol, ver pessoas diferentes, usar um short (^ ^), sentar na grama, jogar conversa fora...
Durante o nosso passeio “de índio”, encontramos um painel que dizia: “Em vão percorremos volumes, viajamos e nos colorimos. A hora pressentida esmigalha-se em pó na rua. Os homens pedem carne. Fogo. Sapatos. As leis não bastam. Os lírios não nascem da lei.”.
Quando terminei de ler, confesso que fiquei confusa e tive que reler muitas vezes para entender. O que eu descobri? Nos primeiros dias nada... Mas parei para pensar e consegui resumi-la assim: “Esqueça a ganância e se preocupe apenas com as coisas simples da vida”. Pronto. Simples assim. Hoje a falsidade está tomando conta de nós, fingimos ser algo que não somos, mas por quê? Fazemos coisas apenas por fazer, mas para quê?
Ficamos tão preocupados em não chegar atrasados no serviço, que não tomamos café da manhã com calma. Reclamamos que o dia tem somente 24 horas, mas se ele durasse 48 horas, ainda assim nossos filhos estariam dormindo quando chegássemos em casa. Queremos presentes de Natal todo ano, mas esquecemos que essa data não é para receber coisas materiais, e sim dar carinho a quem amamos e a quem não tem onde buscar afeto.
E claro, coisas básicas como ir ao banheiro quando estamos apertados, tirar do pé o sapato que te machuca, dizer EU TE AMO para as pessoas que consideramos especiais, sem esquecer de agradecer sempre por um novo dia estar começando....

Um comentário:

  1. Amiga'sss

    Amos todas vcs mesmo quando esquecem de mim!

    Saudades absurdas

    ResponderExcluir